Princípios de nutrição for dummies

Às vezes me assusto com algumas coisas que ouço a respeito de alimentação. A distorção mais comum que vejo por aí é as pessoas acharem que quanto menos calorias a gente comer, melhor – como se só isso importasse na nossa dieta. Se esse é seu caso, pare, respire fundo, e leia com atenção. Este post pode te ajudar a ampliar um pouquinho suas noções de nutrição.

Uma alimentação equilibrada deve fornecer energia para as atividades voluntárias e involuntárias do corpo, e nutrientes para a manutenção da saúde. Os alimentos costumam ser divididos em três categorias, de acordo com sua função predominante no organismo:

– Alimentos energéticos
Fornecem energia para a realização das atividades voluntárias (locomoção e exercícios físicos) e involuntáras (atividade cerebral, batimentos cardíacos, contrações musculares etc) do dia a dia. São eles os açúcares, carboidratos e gorduras.

– Alimentos reguladores
Fornecem nutrientes responsáveis pela manutenção do funcionamento de todos os órgãos do corpo. São eles as vitaminas, os sais minerais, as gorduras (sim!), as fibras, a água.

– Alimentos construtores
Fornecem nutrientes necessários para a formação, crescimento e recuperação dos tecidos. São eles as proteínas e os sais minerais.

Sua dieta está suprindo suas necessidades?

Existem alguns modelos gerais que ilustram como devemos equilibrar o consumo dos diversos tipos de alimento. A mais conhecida por aqui é a “pirâmide alimentar”.

De acordo com a “pirâmide”, a base da nossa alimentação são os carboidratos, fonte de energia. Em seguida, as frutas e hortaliças, que fornecem boa parte das vitaminas, fibras e sais minerais. Em seguida, proteínas tanto de origem animal (ovos, leite, carne) como vegetal (leguminosas e grãos). Lá no topo, o que significa que devem ser consumido em menor quantidade, as gorduras e os açúcares.

A necessidade de calorias e nutrientes para manter o corpo funcionando e saudável depende de fatores genéticos e ambientais, e, portanto, varia de pessoa para pessoa, e ao longo da vida. Isso significa que a dieta ideal para mim talvez não seja a ideal para você. Então, a primeira coisa a fazer é observar a si mesmo. Eu ajudo:

1. Pense nos seus pais, seus irmãos, seus avós. Eles são gordinhos ou magrinhos? Como são os hábitos alimentares deles? Eles praticam atividade física? Olhar para eles pode te dar pistas valiosas sobre o que é ambiental e o que é genético na forma e no funcionamento do nosso corpo. Não importa quem esteja na capa da Men’s ou Women’s Health; é provável que seu corpo ideal e saudável passe bem longe dos ideais da mídia de massas, essa criaturinha mentirosa e manipuladora cujo principal objetivo é deixar a gente inseguro para vender coisas que a gente não precisa comprar. 😀

2. Preste atenção nos seus hábitos alimentares e no seu estilo de vida. Será que você está suprindo as necessidades do seu corpo com sua alimentação? Você faz alguma atividade física? Tem ganhado ou perdido peso nos últimos tempos? Sua alimentação é variada, ou você vive a base de miojo e pão de queijo? Você faz quantas refeições por dia? Você se sente bem, tem pique para suas atividades, ou se sente cansado com frequência? Faz xixi quantas vezes por dia? Tem dores de cabeça? Prisão de ventre? Dorme bem?

Para saber se está tudo ok, primeiro você tem que se conhecer. Pode parecer óbvio, mas muita gente, distraída com a rotina, não se dá conta do que acontece dentro do próprio corpo. Observar tudo isso é muito importante para começar a perceber quais são suas necessidades alimentares.

Se você quer levar isso a sério mesmo, é muito legal marcar uma consulta com um nutricionista. Mas é possível se virar mais ou menos bem por conta própria, considerando que você não tenha nenhuma doença ou condição bagunçando o funcionamento do seu organismo… Que tal fazer um check-up para ver a quantas anda seu corpitcho?

A partir daí, como montar cada uma das suas refeições? Ou, no caso específico deste blog, como fazer do seu bentô uma refeição completa equilibrada? Conselhos mais práticos no próximo post, algo do tipo “um roteirinho de como montar seu bentô”.

2 thoughts on “Princípios de nutrição for dummies

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>