Bentô 15: Arroz com lentilhas, miniburger, batata doce

Sem muito segredo o bentô de hoje! Foi todo preparado na noite anterior, e de manhã foi só empacotar.

O arroz com lentilhas já apareceu várias vezes. Os miniburgers tem receita e passo-a-passo aqui. E a batata doce eu preparei exatamente da mesma maneira que a abóbora deste post. Recomendo!

Pra acompanhar, uma saladinha de pepino com tomate. Deixei marinando na geladeira, na noite anterior, com vinagre e um pouco de sal. Se quiser “ajaponesar” a coisa, coloque também um pouquinho de mirin (sake culinário) e/ou um pouco de açúcar.

Bentô 8: Arroz, feijão, carne moída com legumes

Mais um bentô com arroz e feijão. Sou entusiasta da combinação desde pequena; se não tivesse arroz com feijão na refeição, pra mim não era comida (e eu atormentava minha mãe com o “não quero pão, quero comida”).

Aliás, gosto tanto de feijões que devo fazer um post específico sobre essas delicinhas em breve.

Arroz: Normal, cozido com cebola e sal.

Feijão preto: Cozido na véspera apenas com sal e louro, temperado de manhã com cebola, alho e pimenta do reino.

Carne moída com legumes: cebola, salsinha e várias aparas de legumes que eu tinha na geladeira (cenoura, abobrinha e pimentão). O elemento fálico e de textura engraçada no meio da carne é apenas um pepino em conserva, que eu gosto muito e sempre tenho na geladeira para incrementar meus bentôs.

Ervilhas: congeladas, direto do freezer. São docinhas, não precisam de tempero.

Em um pote separado, misturei sobremesa e lanche da tarde: carambolas, uma maçã e uns pedaços de chocolate amargo (de um ovo de páscoa sobrevivente). As fotos dos complementos e sobremesa tem feito sucesso, então sempre que valer a pena eu posto aqui.

Miniburgers!

Miniburgers são componentes clássico dos bentôs. São bem fáceis de fazer, e à partir da receita básica, você pode variar bastante no formato e no sabor.

No Japão, é comum que sejam feitos de uma mistura de carne bovina com carne de porco. Também é comum acrescentar tofu à mistura, o que faz sentido em um país em que tofu é muito barato e carne é muito caro. A receita abaixo é a básica com carne bovina. Acrescentei o moyashi (broto de feijão) porque gosto da textura. :)

A ideia desse hambúrger básico é ter um sabor bem neutro, para que você possa incrementar com algum molho ao descongelar. Pode ser molho de tomate, teriyaki, molho inglês, shoyu ou até o bom e velho katchup. Se preferir um mais temperado, pode acrescentar alho (picado bem pequeno ou amassado), salsinha, cebolinha… ou o que mais você quiser inventar.

Normalmente faço num final de semana (não leva mais que uma hora) e congelo os miniburgers já fritos para muitos bentôs. Dá para congelar cru, também; mas acho bem mais prático fritar tudo junto (empestear a casa e sujar frigideira com óleo só uma vez), e na hora de montar o bentô, só descongelar e tá pronto.

UPDATE: Ao invés de fritar, coloquei no forno e ficou perfeito! Faz bem menos sujeira, fica mais saudável e é mais fácil – coloca todos no forno e vai fazer outra coisa. Meia hora foi o suficiente para assar a receita inteira!

Utensílios
– Tigela grande
– Frigideira
– Processador de alimentos (é opcional, mas ajuda bastante!)

Ingredientes
– 700 gr de carne bovina moída
– 1 xícara de farelo de pão (1 pão francês OU 2 a 3 fatias de pão de forma, picados no processador de alimentos) ou 1/2 xícara de farinha de rosca (não fica tão bom, mas quebra o galho)
– 1 cebola grande (picada bem fininha, ou no processador de alimentos)
– 1 colher de chá de sal
– 1 ovo
– Pimenta à gosto
– Dois punhados de moyashi (corte fora o feijão e a raiz)
– Óleo para fritar

Sobre o farelo de pão: junto com o ovo, ajuda a dar liga aos hambúrgueres. Nesse caso, desfiz fatias de pão de forma integral no miniprocessador de alimentos (usei as tampas, que ninguém nunca come!). É possível usar qualquer tipo de pão, e na falta de um processador, use farinha de rosca, em uma quantidade menor (1/2 a 3/4 de xícara; mais do que isso vai ficar duro!)

Coloque todos os ingredientes na tigela, e com as mãos, misture até a massa ficar homogênea, e o bolinho não grudar demais na mão nem despedaçar. Neste caso, fiz quatro hamburgers maiores para fazer lanche (hmm!) e o resto miniburgers para os bentôs. Para os grandes, usei uma mão inteira de carne como medida; para os pequenos, mais ou menos uma colher de sopa bem cheia. Apenas como referência, a receita rendeu 4 hamburgeres grandes e 13 pequenos.

Aqueça o óleo na frigideira, coloque alguns hamburgers e tampe. Deixe dois minutos (ou até dourar), vire, e tampe novamente. Com isso o miolinho dele cozinha no vapor enquanto a parte de fora frita. Retire da frigideira, tire o excesso de óleo com papel toalha, e eles estão prontos para comer ou congelar.

Congelar:

Coloque os hambúrgueres em uma assadeira, separados. Deixe no freezer por mais ou menos uma hora, retire, e guarde todos juntos em um pote ou um ZIP-LOCK. Fazendo dessa forma, eles não ficarão todos grudados, e você pode ir tirando um por um, para usar nos bentôs do dia. Para descongelar, use o microondas, vapor ou coloque direto na frigideira.

Receita baseada na publicada pela Maki Itoh no blog Just Bento. (em inglês)

Também no Just Bento, a versão com carne de porco e tofu.

Bentô 3: Tutu de feijão e picadinho

Bentô bem brasileiro, pra quem acha que só faço comida “tipo” japonesa. Devido aos ingredientes, é mais recomendado pra quem tiver acesso a um microondas na hora de comer.

Picadinho, tutu e couve são sobras do jantar de ontem. O arroz de ontem só deu para o bentô do Araki, então, pra mim, apelei para uma porção de arroz japonês integral lindamente congelada.

BOMBA: Arroz japonês é muito fácil de congelar e contiua ótimo!

O gyoza, pra quem não sabe, é uma espécie de pastelzinho recheado com carne e/ou legumes. Esses aí, coitados, tão de penetra porque não iam durar mais um dia na minha geladeira. Normalmente faço no vapor, mas hoje, com pressa, fritei mesmo.

Tutu de feijão: tinha feijão cozido na minha geladeira, então foi só temperar e acrescentar farinha de mandioca. Normalmente vai bacon e/ou algum tipo de linguiça no tutu; esse, porém, é só feijão e temperos.

Couve refogada: com cebola, tomatinho picado e sal.

Arroz japonês integral: tem truque pra fazer, e truque pra congelar. Em breve.

Picadinho: alcatra (comprei cortadinho, para estrogonoff), batata e cenoura. Normalmente não uso tempero pronto, mas nesse caso usei um quadradinho de caldo de carne. Eu estava realmente com pressa.

Gyoza: de carne bovina, comprado pronto, frito em óleo de canola.

Bentô 2: Frango com curry, miniburger

Hoje acordei tarde e fiz correndo os bentôs para o senhor Araki e para mim. Felizmente, eu tinha várias coisas prontas na geladeira e no freezer, foi só descongelar, fazer o arroz e TCHARAM.

Manter um pequeno estoque é fundamental para quem faz bentô diariamente e tem uma rotina corrida (e ainda por cima às vezes perde a hora, como eu). Nesse caso, um mix de sobras de outras refeições e alimentos congelados, ou comprados prontos ou especialmente preparados no final de semana, renderam uma refeição completa e variada em, sei lá… vinte minutos?

Arroz japonês: com furikake de legumes, industrializado (em breve receitas de como fazer seu próprio furikake)

Abóbora: cozida no vapor, sobra do Bentô 1

Frango com curry: congelado, sobra de um outro bentô. Receita em breve.

Miniburger: congelado, preparo um monte de uma vez, normalmente aos domingos, para os bentôs da semana. Receita em breve.

Ervilhas: congeladas, compradas em qualquer mercado. São bem mais gostosas que as enlatadas (e acredito que mais saudáveis, já que não tem nenhum aditivo). Nem descongelo; coloco direto no bentô, e  o calor dos outros alimentos é o suficiente para estarem perfeitas na hora de comer, além de ajudar a manter o bentô fresquinho.

Cenoura com shoyu: corto, jogo na frigideira com água e shoyu enquanto faço as outras coisas. Secou, tá pronto.