Bentô 19 – Omelete, arroz jasmim com edamame

Hoje foi mais um daqueles dias em que eu saí catando o que tinha na geladeira para ver se dava para fazer um bentô. Isso quase sempre significa um bentô com omelete. Felizmente, eu tinha um pouco de palmito, sobra de jantares anteriores, e junto com umeboshi e um pouco de nori, o omelete superou minhas expectativas.

Bentô 19

Tinha também uma sobra de edamame congelado, que cozido junto com o arroz jasmim é uma das minhas combinações favoritas. Em vinte minutos ele cozinhou, enquanto eu tomava café da manhã. O omelete, entre picar e fazer, leva uns dez. E – oh, alegria! – descobri salada lavada na geladeira, que, fora o alface para enfeitar, trouxe em um potinho separado. Bentô resolvido! Arrumei rapidinho e deixei esfriando enquanto me trocava para o trabalho.

Nori cortado com tesoura em cima do arroz é absolutamente supérfulo ;)

Nori cortado com tesoura em cima do arroz é absolutamente supérfulo ;)

Conservas (palmito, azeitona, aspargos, umeboshi) e grãos congelados (edamame, ervilha, minho) são coisas que eu procuro sempre ter em casa, porque quebram um galhão na hora de fazer bentô. Como cozinho só pra mim (no máximo pra dois :P), me dou ao luxo de ser exigente com a qualidade das conservas – fuço o rótulo, pago mais caro pelas orgânicas, pelas “caseiras”, com o mínimo possível de aditivos (sou alérgica a conservantes, caso já não tenha falado um milhão de vezes por aqui). Também evito a qualquer custo os enlatados, não só por causa dos conservantes, mas porque normalmente são feios e ruins.

O pessoal do bentô em geral usa bastante embutidos – salsichas, presunto, queijos processados. São práticos e se prestam muito bem pra fazer bichinhos e florzinhas e tal. Também não são muito saudáveis, por isso não tem muito disso por aqui.

Bentô 5: Onigiri, miniburgers, seleta de legumes

Tão colorido!

Onigiri: Três onigiris pequenos, dois recheados com umeboshi, um sem recheio, temperado com uma mistura de cebola, alho e salsa desidratada. Veja aqui como fazer onigiri.

Miniburgers: congelados. Veja aqui como fazer miniburgers.

Tamagoyaki: “recheado” com um pouco de furikake (industrializado, mesmo). Veja aqui como fazer tamagoyaki.

Seleta de legumes: congelada, descongelei na frigideira com um pouco de azeite. Nem coloquei sal, porque os demais componentes do bentô já tinha sódio o suficiente (carne, umeboshi, furikake industrializado, omelete, os próprios onigiri). Legumes congelados são uma opção excelente para quem faz bentô. Nem sempre dá pra passar todo dia no mercado para comprar vegetais frescos, ou nem sempre dá tempo de prepará-los. Pra essas ocasiões, mantenho vários tipos e combinações de legumes congelados no freezer. Dê uma olhadinha na seção de congelados da próxima vez que for ao mercado.

Tamagoyaki

O tamagoyaki, ou omelete estilo japonês, é um elemento muito comum nos bentôs, por ser rápido de fazer, versátil, gostoso e bonito (não é?).

No Japão, tradicionalmente é preparado com açúcar. Por aqui, normalmente faço salgado, e acrescento legumes (cortados em tiras), ervas, sementes ou temperos. É muito prático tanto como fonte principal de proteína do bentô quanto como complemento.

A principal diferença em relação ao omelete ocidental é que o tamagoyaki é composto de camadas bem fininhas, com um aspecto de rocambole. Mas calma, é bem mais fácil do que parece. O “enrolar” precisa de alguma prática; se ele desmontar, não desanime. Uma duas ou três vezes que você fizer já pega o jeito.

O passo a passo abaixo é tamagoyaki para uma pessoa, como fonte principal de proteína para o bentô.

Utensílios:
– Uma frigideira pequena, antiaderente
– Uma tigela
– Um garfo
– Pincel para untar (se não tiver, use um chumaço de papel toalha)

Ingredientes:
– Dois ovos pequenos
– Sal
– Açúcar
– Óleo de cozinha (1 colher de sopa)
– Cebolinha (opcional)
– Peixe bonito ralado (opcional)

1

Misture rapidamente os dois ovos com sal e/ou açúcar. Neste caso, usei mais ou menos meia colher de chá de sal, e uma pitadinha de açúcar mascavo. Mantenha os ingredientes por perto, porque o processo precisa ser rápido. Espalhe o óleo pela frigideira, e aqueça em fogo baixo.

2

Com a frigideira quente, coloque uma parte da mistura de ovo (1/3 ou metade, dependendo do tamanho dos ovos; neste caso, coloquei metade), e espalhe em uma camada fina. Aguarde um momento e mexa um pouco a frigideira – a superfície do omelete tem que estar ainda líquida, mas sem escorrer. Esse ponto é importante, ou o tamagoyaki não gruda direito e desmonta! Acrescente o recheio, se houver (no caso, coloquei a cebolinha inteira, mas picadinha fica mais fácil pra cortar depois). Enrole com o garfo, começando por um canto e indo até o outro.

3

Acrescente mais uma camada fina da mistura – deixe escorrer um pouco embaixo do rolinho, pra grudar. Só nesse momento pensei em colocar o bonito ralado – se for algo pequeno, tipo gergelim; sem problemas; se for legumes, é melhor colocar na primeira camada, pro tamagoyaki não ficar muito irregular e acabar quebrando. Quando chegar no ponto (ainda líquido, mas já não escorrendo), enrole até o outro lado. Repita o processo quantas vezes for necessário até acabar a mistura.

4

Coloque o rolinho de tamagoyaki em um prato, para esfriar. Quando morno, corte em fatias com uma faca sem serra. Quanto mais finas as fatias, maior a possibilidade de quebrar.

5

Na hora de montar o bentô, coloque por baixo as pontas, as fatias que quebraram, os pedaços de recheio que caíram… Coloque as fatias mais bonitinhas por cima e pronto.

Atenção:
– O processo é rápido! Cozinhar demais o tamagoyaki vai fazer ele ficar escuro e borrachudo.
– Pra mais pessoas, acrescente mais ovos e vá fazendo camadas. Quanto mais camadas, mais redondo e gordinho ele fica.
– Se estiver grudando na sua frigideira, antes de colocar mais uma camada de mistura espalhe mais um pouquinho de óleo.
– Às vezes faço com um ovo só, apenas para preencher um cantinho do bentô. Nesse caso, o procedimento é o mesmo, com uma única camada.
– Se for rechear com legumes fibrosos (como cenoura ou vagem), cozinhe-os até que fiquem macios antes de começar.
– É possível usar só a clara dos ovos.

Bentô 1: Omelete com pimentão, abóbora frita

Este primeiro bentô é bem simples: arroz, tamagoyaki (omelete) com pimentão, legumes no vapor e verduras refogadas.

Como o arroz estava temperado, fui bem simples nos outros elementos: apenas sal, um pouco de shoyu para o repolho e vinagre para a vagem. Os próprios alimentos se encarregaram dos sabores, e a estrela é a abóbora, salgada e levemente tostada por fora, docinha e macia por dentro.

bento1

Arroz: branco, comum, temperado. (Em breve, instruções sobre arroz japonês.)

Tamagoyaki: apenas ovo, sal e pimentão, feito na frigideira com óleo de canola. Veja como preparar o tamagoyaki básico.

Vagem manteiga: cozida no vapor e temperada só com vinagre (no caso, de maçã).

Abóbora frita: do tipo cabotia, que é mais sequinha. Cozida no vapor, em seguida frita com só um pouquinho de óleo (no caso, de canola), e no fim, temperada com sal.
Pode cozinhar na água, também, com um pouco de sal; nesse caso, cuidado para não passar do ponto e virar purê. Escorra antes de fritar. Se quiser economizar calorias, empacote sem fritar, só cozida com sal e pimenta.

Repolho refogado com tomate: Primeiro deixei “refogando” na frigideira com água. Quando estava quase seco, coloquei mais um pouco de água e shoyu, e esperei diminuir a água outra vez. Pode colocar um pouquinho de óleo de gergelim no final, para dar sabor (nesse caso, não coloquei).